segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

As regras do (Trump [trunfo]) jogo, por Pepe Escobar

















O general James "Cachorro Louco" [ing. Mad Dog] Mattis, escolhido pelo presidente eleito Donald Trump para ser o novo cabeça do Pentágono é funcionário modelo do Império do Caos [ing. Empire of Chaos]. Seu bordão de trabalho é – e que outro poderia ser – "caos". O Comando Operacional das Operações Especial dos Marines [ing. Marine Corps Special Operations Command (MARSOC)] até distribuiu imagem do "São Mattis de Quantico, Santo Padroeiro do Caos". Na encarnação pop, O Santo vem completamente equipado com granada e faca.

Jornalismo anglo-norte-americano em luta de vida ou morte contra o próprio modelo digital

30/11/2016, John Hellmer, Dances with Bears, Moscou















Para que os Impérios imperem, seus agentes têm de ter o monopólio da força, da fraude e da subversão, dentro do país imperial e também nos mais distantes domínios do Império. Subversão significa capacidade para persuadir o povo do que seria verdadeiro e bom, e do que seria falso e mau para o mesmo povo. Em resumo: não há império sem monopólio da propaganda.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Vitória de Bashar al-Assad e Putin em Aleppo pôs o ocidente em surto de pânico

03/12/2016, Martin Berger, New Eastern OutlookNEO















Até o final de novembro, União Europeia e Washington só fizeram tentar convencer a comunidade internacional de que nenhum dos lados no conflito sírio seria suficientemente forte para colher vantagem decisiva no campo de batalha.

Ao mesmo tempo, círculos políticos ocidentais tomaram todas as medidas possíveis para impedir que Damasco e Moscou intensificassem a ofensiva contra os terroristas do 'Estado Islâmico' na Síria, sobretudo em Aleppo. Para essa finalidade, o secretário de Estado John Kerry aumentou os esforços diplomáticos para obter um acordo com a Rússia, sobre a Síria, antes de o atual governo deixar o posto –, como registra o Washington Post. Segundo o mesmo jornal, a Secretaria de Estado pouco se incomoda com a chamada "crise humanitária" em Aleppo; o que teme é que o governo assine acordo diferente com Moscou, que, na essência, põe os EUA ao lado de Bashar al-Assad.


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

MK Bhadrakumar: China conclama Cuba a trilhar a via socialista


29/11/2016, MK Bhadrakumar, Indian Punchline















Duas empresas aéreas norte-americanas – American Airlines e JetBlue Airways – iniciaram hoje voos diretos entre EUA e Havana, pela primeira vez depois de meio século. Esses voos conectam New York e Miami, respectivamente, com a capital de Cuba. Acontece no momento em que o presidente eleito dos EUA Donald Trump condenou pesadamente o legado de Fidel Castro, ao comentar a morte do herói cubano na 6a-feira à n noite.

Na 2ª-feira, Trump voltou ao tema, com um tuíto: 'Se Cuba não quiser acordo melhor para o povo cubano, para o povo cubano/norte-americano e para os EUA como um todo, porei fim ao acordo.' O tuíto veio em tom tipicamente 'trumpiano' – o assunto central envolto em muitas e muitas condicionalidades ("Se..., se..., se..."), em tudo semelhante à abordagem do caso iraniano, que deixa o observador sem chão firme onde pisar.

Claramente, o tuíto não contém ameaça direta ao acordo com Cuba, que o governo Obama conseguiu a duras penas e com a mediação do Vaticano. Nem Trump ameaça reimpor sanções contra Cuba. Por outro lado, Trump exige coisas de Raul Castro, para não renegar o acordo. Há uma distinção sutil que se tem de fazer aqui, mas é uma mudança importante na ênfase, que pode fazer toda a diferença para as confabulações cubano-norte-americanas na era Trump.

Presidente Xi Jinping, da China: Mensagem de Condolências, pela morte do Camarada Fidel Castro

27/11/2016, Xinhua, Pequim (trad. ao inglês)














"Entristecido com a notícia da morte do líder revolucionário cubano Fidel Castro, eu, em nome do Partido Comunista Chinês, do governo e do povo da China e em meu nome pessoal, manifesto as mais profundas condolências ao Camarada Raul Castro e por ele ao Partido Comunista de Cuba, ao governo e ao povo de Cuba; e minha mais sincera simpatia à família de Fidel Castro.

Fidel Castro, fundador do Partido Comunista de Cuba e da causa socialista de Cuba, é um grande líder do povo cubano. Devotou toda sua vida à grande causa do povo cubano, de luta pela libertação nacional, defesa da soberania do estado e construção do socialismo.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Rodada Síria: Frentes Jihadistas caem aos pedaços - Egito entra na luta ao lado da Síria


27/11/2016, Moon of Alabama












"Fato é que já não há qualquer esperança real de depor Assad"
(Que coisa mais linda! #ForaTemer #ForaMoro #EUAderrotadosEverywhere).





O Exército Árabe Sírio (EAS) e aliados fizeram imenso progresso em Aleppo Leste. Ali e ao que parece por todo o território, as frentes jihadistas estão ruindo. Desunião na oposição, reflexo da desunião entre os patrocinadores, põe a perder todos os esforços de novas iniciativas. A campanha aérea russa por trás das linhas "rebeldes"– que a mídia-empresa ocidental oculta atentamente – reduziu significativamente os recursos dos terroristas fundamentalistas, materiais e pessoais.

Assad às vésperas de sua maior vitória desde o início da Guerra na Síria: Aleppo livre

29/11/2016, Tyler Durden, Zero Hedge















A batalha por uma das cidades sírias mais furiosamente disputadas na guerra na Síria – Aleppo – aproxima-se do desfecho. Segundo a agência Reuters, o exército sírio e aliados anunciaram, na 2ª-feira, a reconquista de larga faixa de Aleppo leste, até aqui ocupada por terroristas – que alguns estimam que corresponda a cerca de 40% da parte que os terroristas ainda ocupam –, em avançada acelerada que ameaça esmagar a oposição na sua mais importante fortaleza urbana.